Tambor largo fornece grandes ganhos em termos de produção

A  Gellini Costruzioni tritura anualmente milhares de toneladas de asfalto e pavimenta outros milhares de toneladas.

O que é comum a todas as facetas do processo de pavimentação é a necessidade de produção. “Estamos sempre à procura de maneiras para maximizar o uso do nosso equipamento de modo a aumentar a produtividade da nossa frota”, disse Giampiero Gellini, proprietário da empresa, sedeada em Arezzo, na Itália.

Recentemente, num trabalho de planeamento a frio, a Gellini Costruzioni encontrou uma ferramenta chave para maximizar a produção. A empresa testou uma fresadora a frio PM200 da Cat com um tambor de 2,2 m comparada com a largura padrão de 2 m.

Os resultados foram, no mínimo, impressionantes. “Conseguimos completar o trabalho com quarto passagens em vez de cinco”, disse Gian Giacomo Gellini, fi  lho de Giampiero e co-proprietário da empresa. “Isso representa um lucro de 20% em termos de produtividade. Não só poupámos tempo mas também poupámos combustível. Teríamos consumido a mesma quantidade por passagem com o tambor padrão. O motor PM200 era mais que sufi  ciente para o tambor mais largo. Conseguimos aumentar a produção e reduzir a quantidade de combustível consumido com uma passagem a menos, o que também reduziu as emissões.”

 

Descrição do projecto

A auto-estrada E78, chamada “Due Mari” ou “Dois Mares”, liga o Tirreno com o Adriático. A estrada é uma rodovia comercial que além de ligar os dois mares, também liga as cidades principais de Grosseto, a principal cidade da área costeira da Toscana e Fano, uma estância de férias costeira na região da Marche.

Gellini testou o seu tambor largo novo numa parcela da E78 na provincial Toscana de Arezzo. A estrada de 8,35 m de largura incluía uma faixa de rodagem e uma faixa de ultrapassagem. Os problemas que existiam com a sub base signifi  cavam que a Estrada precisava de ser reconstruída.

Foi planeado que se trituraria, reciclaria e colocaria asfalto novo sobre uma faixa de 1,1 km. A Cat PM200 cortou a uma profundidade de 23 cm na faixa de rodagem e de 5 cm na faixa de ultrapassagem. As tripulações usaram técnicas de reciclagem a frio para reconstruir a sub base. Uma pavimentadora de asfalto Cat AP600 colocou então uma camada de 5 cm de aglutinante, seguida de uma camada de desgaste de 5 cm. Em seguida, um compactador de asfalto Cat CB434 compactou o tapete de asfalto.

 

Trituração

A PM200 com o tambor largo conseguiu trabalhar à mesma velocidade que havia desenvolvido com o tambor padrão. O tamanho do material triturado era de cerca de 3 cm. Os materiais triturados foram entregues aos camiões por meio de tapetes rolantes. Parte do material triturado foi transportado para a fábrica da Gellini para ser posteriormente reciclada. Uma grande quantidade de material triturado foi temporariamente armazenada no local para serem usadas no processo de reciclagem a frio.

O rotor e as brocas tiveram um bom desempenho, disseram os Gellinis. Foram usadas brocas Boart no rotor. “Normalmente estas brocas duram cerca de 40 horas no asfalto duro”, disse Gian Giacomo Gellini. “Quando uma das brocas se gasta, pode ser facilmente substituída. Contudo, todas as brocas são substituídas de 4 em 4 ou de 5 em 5 dias quando trabalhamos em asfalto meio duro”.

O operador Robert Zelli fi  cou impressionado com a durabilidade das brocas, assim como com a capacidade do tambor aumentar a produtividade, devido à sua maior largura. Além disso também apreciou a fácil operação da PM200. Especifi  camente, conseguiu defi  nir os controlos de graduação e de declive e deixar que mantivessem as suas posições. “Basta-me defi  nir a profundidade e seguir em frente”, disse Zelli.

Todos os outros componentes e sistemas da PM200 conseguiram acompanhar o desempenho, apesar do tambor mais largo. O sistema de aspersão de água limitou o pó e ajudou a manter as brocas refrigeradas e os tapetes rolantes aceitaram com facilidade as cargas mais pesadas.

 

O tambor largo

A Gellini foi contactada com o pedido de testar o tambor em campo e concordou com o pedido. A fresadora a frio foi conduzida para a ofi  cina e o tambor padrão de 2 m de largura foi substituído pela versão com 2,2 m.

O primeiro teste incluía a trituração de uma secção de duas faixas com 2,3 km de comprimento da Auto-estrada entre Firenze e Siena, com uma profundidade de 23 cm. O trabalho demorou uma semana no total e os resultados foram excelentes. O tambor melhorou a produtividade e reduziu a utilização de combustível sem necessitar de nenhuns custos ou esforços adicionais.

“As vantagens do uso de um tambor de 2,2 m são obviamente destacadas quando se opera em grandes projectos, tais como auto-estradas e campos de aviação, onde a fresadora a frio nunca pára de triturar. Neste caso, pode-se obter 20% a mais de produção”, disse ele.

A Gellini Costruzioni tinha um projecto desse tipo depois da E78: tratava-se da trituração da Autoestrada E45 em Cesena, no Norte da Itália. Giacomo Gellini planeou usar o tambor largo no trabalho, o qual será executado sem interrupções durante 20 dias e ocupará mais de 20 camiões. Está muito interessado em usar o tambor mais largo depois dos resultados que obteve no trabalho realizado na Auto-estrada E78.

Gian Giacomo Gellini disse que tinha expectativas consistentes das máquinas da Caterpillar. “Compramos com base na produtividade, na fi abilidade dos produtos, nos serviços pós-venda da representante e nos preços. “Ser capaz de contar com um serviço rápido e conhecedor pós venda, se este for necessário, permitenos focalizarmo-nos no nosso trabalho e obter os melhores resultados do nosso investimento em equipamento”, disse ele.

O tambor largo ajudou a garantir o melhor desempenho possível do equipamento na tarefa realizada na E78.