Devemos considerar seriamente a telemática?

A tecnologia tem ajudado a indústria da construção a ser mais produtiva a longo prazo. Nós mudamos do papel e da caneta para as calculadoras e computadores. E realmente tem existido um fluxo constante de integração de tecnologias nas empresas de construção em todos os níveis.
Por exemplo:

Projetos Digitais
 A utilização de projetos digitais está se tornando uma prática bem aceita. Os projetos não só podem ser compartilhados eletronicamente e discutidos através de um tablet no local do trabalho, como deixaram de ser diagramas em papel que ocupam espaço no arquivo físico.

Estimativa 
Um grande número de aplicativos permitem que as empresas possam inserir as informações importantes dos projetos e extraí-las quando solicitado. Informação precisa sobre os custos envolvidos é essencial para a eficácia da estimativa. A concorrência é acirrada quando nos candidatamos aos projetos e frequentemente o que distingue uma empresa da outra é a precisão e a adequação das suas estimativas. O papel da tecnologia é melhorar o tempo de resposta destas estimativas.

Trabalhar Mais Ecologicamente
 Construir com tecnologias “verdes” é muito mais do que eliminar papel e desperdícios. Significa também encontrar outras maneiras de fazer a entrega dos materiais e permitir uma visão mais precisa da mão de obra, consumo de itens e prazos. A tecnologia mantém o inventário atualizado, reduzindo a possibilidade de encomendar em excesso ou criar desperdícios desnecessários.

Smartphones
 Ninguém pode contestar que a mudança dos walkie-talkies para os smartphones foi algo significativo e decisivo. Há vinte anos atrás, "teclar" significava simplesmente digitar, e não um passatempo social. As câmeras dos smartphones são utilizadas diariamente como um meio para fornecer documentação através de fotografia da situação do trabalho, e também da destreza do operador.

Tablets A introdução da tecnologia dos tablets transformou de fato a gestão do local de trabalho. Os gerentes e supervisores dos projetos não precisam de cópias em papel para devolver e enviar para validação algumas partes do projeto. Os cronogramas, alterações de pedidos e RFIs podem ser enviados a partir do tablet no local de trabalho para o dispositivo do gerente do projeto, independentemente do lugar onde esteja. As câmeras permitem documentar e resolver problemas e preocupações com a segurança. E tudo em tempo real. Com a conexão entre o supervisor no local de trabalho e o gerente do projeto, ocorrem menos atrasos e os problemas são resolvidos mais rapidamente.

Então, por que a telemática desacelerou? Um dos obstáculos para sua adoção é o desafio de agregar os dados da telemática em frotas mistas. A Associação dos Fabricantes de Equipamento (AEMP) anunciou recentemente a introdução de um padrão de telemática recomendado que irá ajudar os sistemas de diferentes fabricantes a falarem a mesma linguagem, para que a informação possa ser agregada a partir de uma perspectiva total das frotas. Os dados de telemática padrão propostos incluem horas, localização, GPS, distância percorrida, odômetro da máquina, códigos de avaria, tempo ocioso, consumo de combustível, nível de combustível, estado de funcionamento do motor (ligado ou desligado), eventos de entrada de interruptores, tomada de força (PTO), fator médio de carga, velocidade máx., temperatura do ar ambiente e carga útil.

Faça a telemática progredir um passo de cada vez
 Mas de acordo com Tom Morgan da Branch Highways, que discursou sobre “Tornando a Telemática um Caso de Negócio”, na 32a Conferência de Gestão e Reunião Anual em Março de 2014, a falta de padronização não deve ser impedimento—existem outras razões importantes para começar a utilizar a informação da telemática. Se você seguir a lógica dele, poderá começar com a métrica de tempo ocioso e desenvolver um maior valor para a telemática a partir daí.

De acordo com Morgan, o tempo ocioso e o excesso dele estão interligados com questões de gestão do equipamento como: o consumo de combustível, tempo nas máquinas, tempo de serviço, todos são importantes devido a problemas de garantia. Se uma máquina parar 50% do tempo, por exemplo, isso representa 50% de garantia e 50% de vida útil em serviço desperdiçados.

O Cat Product Link™ (que reporta os dados da telemática) é padrão nas máquinas Cat®. Se você possuir um equipamento Cat com o Product Link ativo, poderá também configurar uma conta VisionLink® para rever as informações que recebe da sua máquina—como o tempo ocioso por exemplo.

E, esses dados podem ajudá-lo(a) em outras áreas. Você poderá comparar o tempo ocioso das máquinas que possuem tecnologias de produção, como Cat® Connect GRADE ou Cat® Connect PAYLOAD. Você está obtendo o máximo destas tecnologias? Será que a quantidade de tempo ocioso ou a queima de combustível indicam que o seu operador precisa de treinamento adicional? E no que se refere ao impacto na gestão e manutenção do equipamento? Existem correlações entre o tempo ocioso, queima de combustível e inatividade?

Talvez este seja um bom momento para considerar melhor como os dados da telemática podem ajudar o seu negócio—você poderá verificar isso no seu computador portátil, tablet ou smartphone—ou falar com o seu Concessionário Cat.